Comunicação no envelhecimento

comunicação no envelhecimento

Comunicação no envelhecimento / Foto Divulgação

Comunicar é partilhar informações, pensamentos, idéias e vontades. Dessa forma, ela pode ser verbal, escrita e não verbal através de expressões faciais e gestuais.

Durante o processo de envelhecimento saudável existem possíveis alterações na comunicação. Essas mudanças nos idosos saudáveis, por exemplo, ainda são poucos estudadas sendo muitas vezes caracterizadas preconceituosamente como “conversa de velho” “conversa comprida, repetitiva” “só fala do passado”.

Diminuição cognitiva x linguagem

A princípio, a diminuição de algumas habilidades cognitivas no envelhecimento pode impactar sobretudo no declínio da linguagem.

Além disso, os déficits na memória de trabalho, problemas na atenção, percepção, velocidade e declínio das funções executivas são possíveis causas que explicam essas modificações na comunicação.

Algumas caraterísticas marcam essas mudanças, principalmente quando o papel social do idoso se altera, por exemplo:

  • Pausas para busca de palavras
  • Troca de palavras
  • Repetições do conteúdo falado
  • Maior dificuldade na manutenção de informações
  • Maior dificuldade para organizar o discurso
  • Mudanças na fala com redução na articulação e na velocidade
  • Mudanças vocais
  • Mudanças na acuidade auditiva que podem afetar a compreensão e levar ao isolamento evitando o contato em grupo

Dicas para facilitar a comunicação com o idoso

Lembre-se, antes de tudo, que essas dicas são facilitadores para uma melhor comunicação com o idoso:

  • Não o trate como criança
  • Diminua os ruídos do fundo
  • Verifique se o idoso faz uso de próteses auditivas e se necessita de adaptação
  • Verifique se as próteses dentárias podem estar interferindo na comunicação
  • Fale sempre de frente, sem cobrir a boca, sem virar as costas
  • Não interrompa o idoso no meio do seu raciocínio
  • Aguarde a primeira resposta, antes de fazer a próxima
  • Adapte a comunicação as características do idoso com quem está se comunicando
  • Lembre-se: o olhar, o toque também são formas de comunicação.

Estratégias para uma boa funcionalidade da comunicação

Algumas estratégias podem auxiliar a manutenção da funcionalidade da comunicação, como, por exemplo:

  • Treinamento cognitivo
  • Estratégias que visem a estimulação de narrativas
  • Valorizar as memórias episódicas e auto-biográficas
  • Estimular atividades que desenvolvam a autonomia e desenvolvimento psicossocial como atividades em grupos.

Primeiramente, é importante nos atentarmos a comunicação no envelhecimento.

Portanto, a interação e partilha de informações com outros falantes são de extrema importância para uma boa comunicação. O idoso ativo que mantém interesse em si, no meio, na interação com os outros, assume mais autonomia e apresenta um envelhecimento mais ativo e com mais qualidade.

 

Tatiana Magalhães de Almeida Gritti, fonoaudióloga, doutoranda em Fonoaudiologia pela UNESP-SP, mestre em Fonoaudiologia pela UNESP-SP e especialista em disfagia pelo CFFa

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Somos um Residencial Sênior com programação de atividades diárias, com uma equipe multidisciplinar especializada composta por geriatras, fisioterapeutas, neuropsicólogos, psicólogos, dentistas, fonoaudiólogos, nutricionistas, terapeutas ocupacionais, educadores físicos e gerontólogos, e com uma estrutura

auxiliar com salão de beleza, sala de fisioterapia, consultório médico, consultório dentário, cinema, biblioteca, farmácia, sala de jogos e espaço ecumênico.

Vila Vida Serviços Médicos Ltda. – EPP
Rua José Felix de Oliveira, 1914 | Granja Viana – SP